Devocional 7 – Amargura gera esterilidade – parte 2

“E sucedeu que, entrando a arca do Senhor na cidade de Davi, Mical, a filha de Saul, estava olhando pela janela; e, vendo ao rei Davi, que ia bailando e saltando diante do Senhor, o desprezou no seu coração.” (II Samuel 6:16)

Em Judá estava acontecendo um grande avivamento, o Espírito do Senhor estava sobre Judá. O povo celebrava o retorno da Arca da Aliança nas ruas. Os israelitas cantavam e dançavam cheios de alegria em seus corações. E entre eles estava o rei Davi, celebrando a Deus com muitas expressões corporais pelas ruas de Jerusalém. Davi cantava e dançava com gratidão a Deus pelas vitórias concedidas.

Mical observava de longe. A amargura cegou a sua percepção e ela não consegui discernir que o Espírito do Senhor havia se apossado de Davi. Acabou falando o que não devia e colheu resultado de esterilidade até a sua morte; morrendo sem filhos.

O que podemos aprender é que qualquer ser humano de alma amargurada perde a percepção e tende a focar seus olhos só no fracasso. Mesmo que as pessoas estejam no caminho certo e agradando a Deus, o amargurado não consegue ver, porque a amargura causa insensibilidade e cega o entendimento.

Quantos homens e quantas mulheres estão como Mical, com seus úteros espirituais fechados. Ano após ano, não conseguem gerar vidas, não ganham uma alma para Deus. E ainda assim são críticos para condenar os que estão produzindo. Pessoas amarguradas que conseguem, muitas vezes, desestimular os que estão produzindo no Reino.

Quantos líderes semelhantes a Mical, vivendo uma vida de esterilidade improdutiva no Reino. Líderes que não conseguem prosperar em nenhum projeto. Não prosperam, não frutificam; só criticam. Ficam como Mical, olhando de longe, da janela, as coisas acontecerem ao seu redor. Porém, da janela das frustrações, veem apenas o que querem ver e apedrejam os que estão vitoriando.

Não nascemos para morrer estéreis como Mical. Não podemos nos deixar ser tragados pela amargura, pelos sofrimentos que maltratam. A alma com chagas precisa de cura. E a esperança está em Jesus. Jesus é a nossa esperança viva, que sara e cura a alma, ajudando-nos a remover toda a raiz de amargura.

Como pai e mãe, vamos tomar muito cuidado com nossos filhos. Em parte, tudo o que Mical passou foi por culpa das rejeições adquiridas na família, dentro de casa, no lugar onde deveria ter gerado segurança na alma dela. E tudo isso porque Saul fracassou como pai.

As rejeições familiares são sérias e precisam ser tratadas. Toda rejeição na família causa uma cadeia degenerativa que desestrutura a base da comunhão familiar.

Não permita que a desintegração da base familiar entre na sua casa, no seu lar. Não abra brechas! Não deixe entrar argumentos! Lute contra toda raiz de amargura que entra na alma para provocar esterilidade. Você nasceu para frutificar!